Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

Terça-feira, 21 de Fevereiro de 2006
Letras e números….
- Pai, olha. Já consigo fazer os puzzles das letras sem olhar para a imagem que está na caixa. – diz-me ela toda orgulhosa.
- Poça filha. Pois consegues. MÃE, ANDA VER A NOSSA FILHA. JÁ CONHECE AS LETRAS TODAS. – grito eu também todo inchado.
- Filha, mas que giro que isso está. Conseguiste fazer tudo isso sem olhar para a caixa? – pergunta-lhe a minha mulher.
- Sim – responde ela toda orgulhosa – É fácil. Só tens que arrumar muito bem as peças na caixa e assim quando as tiras já vêm com a ordem certa. – terminou ela.

- Que número é este? – pergunta-lhe a minha mulher.
- Espera aí. – responde-lhe a nossa filha enquanto vai buscar o telecomando da televisão e começa a contar os números. – é o nove. – responde depois acertadamente, para desespero da mãe que a proíbe, contra a minha opinião, de ver mais televisão nesse dia.

Num passeio pelas ruas de Beja e enquanto passávamos num muro cheio de grafites:
- Olha pai, tantas letras.
- Pois....Vamos embora. - digo, ao ver algumas das palavras lá escritas.
- Espera. Olha, vou-te mostrar que já conheço as letras.
- Não é preciso filha. Anda, vamos embora.
- Deixa-me mostrar-te. Vá lá. Por favor. Só um bocadinho.
O que pode um pai fazer perante tal pedido?
- Está bem, mas despacha-te. - respondo-lhe.
- Olha, esta palavra começa por um C.
- Não podes escolher outra?
- Não. Olha e depois é um O, depois um N e depois um A. E agora como é que se lê?
- Bom.....lê-se MÃE.
- Não lê nada. Eu sei escrever MÃE e não é assim. Estás a mentir.
- Não estou nada. É.......É outra forma de escrever mãe.
- hmmm....acho que me estás a enganar. Olha!! Esta também começa por um C e tem no meio um R como no meu nome.
- Pois....Essa é outra forma de dizer PAI. - digo, antes que ela continue.
- Não tem vergonha de andar a ensinar a filha a dizer asneiras. - diz uma velhota atrás de mim, em tom ameaçador. Dirige-se depois para a minha filha e diz - O teu pai é um #$%&$
- Pai, eu não acho que sejas um #$%&$.
publicado por Luis às 22:14
link do post | comentar | favorito
pesquisar