Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

Domingo, 27 de Maio de 2007
A sessão de autógrafos.......
Depois de uma semana cheia de merdas que não vos interessam para nada, mas que seriam suficientes para tirar a tesão a qualquer homem normal (estereótipo dentro do qual eu, obviamente, não enquadro) eis que chega a tão desejada Sexta-feira. Desejada pela minha mulher, a qual me chantageou dizendo que só ia comigo à sessão de autógrafos se depois ficássemos em Lisboa numa orgia de compras. Como sou um gajo que mal ouve a palavra orgia, começa a abanar compulsivamente a cabeça, lá a coisa ficou combinada. E eis que a aventura começa.
Às 17.30h deixo uma reunião a meio, combino com uns amigos de Lisboa a hora prevista da chegada e o respectivo local para a janta, e dirijo-me para o carro. Meto a chave e nada. Tiro a chave, volto a enfiar e nada. Tiro, enfio, nada. Depois de fazer uma comparação estúpida com a minha vida sexual (o que só prova que a semana não tem sido fácil) chego à brilhante conclusão que a bateria morreu. Telefono para a minha mulher dizendo-lhe que há uma alteração nos planos, e que em vez de ser eu a ir buscá-la, tem que ser ela a me vir buscar a mim. Só isto era já suficiente para nos atrasar, mas ainda me lembrei, enquanto estava à sua espera, que também o facto de não estar ao lado dela a dizer-lhe de dois em dois segundos para se despachar, nos iria fazer chegar a Lisboa muito em cima do acontecimento. Quando achei que já tinha passado tempo suficiente para irmos a Lisboa e voltarmos, telefono-lhe:
- Onde estás? - pergunto-lhe.
- Fui mandada parar pela policia.
- Mataste mais um gato?
- Não me chateeis !!! - grita ela.
- Ok. Mas onde é que estás?
- No parque da cidade.
- Mas o que é que aconteceu?
- Nada. Deixa-me! - e desligou.
Bom, embora estivesse a chover, sem chapéu de chuva e carregado com o meu inseparável portátil, fiz a correr os cerca de 1000 metros que nos separavam. Quando lá chego reparo numa gaja boazona a falar com dois GNR. Pergunto o que se passa (depois de recuperar o fôlego e de pensar que talvez o tabaco tenha efeitos secundários, embora esteja a funcionar como método para emagrecer) e a gaja diz que está tudo resolvido, para eu entrar no carro e bazarmos rapidamente dali. Como a uma gaja boa, não sou capaz de dizer que não, obedeci imediatamente.
Foi então que a gaja boa, toda irritada, me disse que a GNR lhe passou uma multa por estar a conduzir e a falar ao telemóvel. Pumba!!! Apercebi-me que afinal a gaja boa era a minha mulher!!!
- 120 euros??!!!! Mas tu não conheces as regras??!!!! Não insististe em comprar a merda de um bluetooth para evitar isso??!!! Não sabes como andam as nossas finanças??!!! - gritei eu, internamente, pois pela sua cara, ela já sabia isso tudo.
Passou a viagem toda a amaldiçoar o GNR que lhe passou a multa, desejando-lhe a eterna perca de tesão. Conhecendo o poder que ela tem para me tirar a tesão, estremeci pelo pobre homem.
Finalmente, no meio de chuva e bastante atrasados, lá chegámos ao Parque Eduardo VII. Chega então a altura de procurar o Restaurante Italiano que se encontrava algures nas redondezas. Perguntámos a vários Lisboetas onde era esse Restaurante. Todos eles nos deram indicações completamente opostas umas das outras, pelo que nos apercebemos que os Lisboetas, do nome de Restaurantes Italianos, só ouvem a parte final, a do .....ii.
Como já passava da hora programada para os autógrafos, e não me estava a sentir bem por deixar multidões de empenhados fãs, à chuva, à minha espera, telefonei para os nossos amigos, que já estavam há horas à nossa espera no restaurante, explicando-lhes tudo isto.
Após comer uma mísera fartura, dirigi-me para o stand da editora e.... UAU !! depois de perder 120 euros, de passar a viagem toda a ouvir a minha mulher a falar em falta de tesão, de falhar um compromisso com amigos, e de comer uma mísera fartura.........uma multidão de ninguém!!!
Percebi então que a falta de tesão é um problema altamente generalizado no nosso país e estranhamente, passei a preocupar-me menos com isso.
publicado por Luis às 23:40
link do post | favorito
De Mariah a 28 de Maio de 2007 às 10:49
Mas ... E então a tua mulher não sabe usar o truque do beicinho e ar angélico quando é abordada pela autoridade? Tipo ..." Desculpe Sr. Agente, mas tem razão... Sim Sr. Agente, nunca mais ... prometo... mas sabe como é... maridos ... não sabem fazer nada sozinhos... sempre a ligar... estou tão arrependida!"
A não ser que ( boca pós mouros) os agentes de Lisboa sejam intransigentes, insensíveis...
Quanto ao stand vazio de fãs, não te preocupes, nós estamos aqui, firmes, sempre em cima do teu blog (salvo seja).
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Mas ... E então a tua mulher não sabe usar o truque do beicinho e ar angélico quando é abordada pela autoridade? Tipo ..." Desculpe Sr. Agente, mas tem razão... Sim Sr. Agente, nunca mais ... prometo... mas sabe como é... maridos ... não sabem fazer nada sozinhos... sempre a ligar... estou tão arrependida!" <BR>A não ser que ( boca pós mouros) os agentes de Lisboa sejam intransigentes, insensíveis... <BR>Quanto ao stand vazio de fãs, não te preocupes, nós estamos aqui, firmes, sempre em cima do teu blog (salvo seja). <BR class=incorrect name="incorrect" <a>Té</A> ao próximo artigo!
De Rosita a 30 de Maio de 2007 às 15:50
Não é por nada, mas pelo que eu li da aventura do "nosso" casado a sua respectiva foi multada em Évora, local onde habitam e não em Lisboa, logo, essa "boca" não é para os "mouros". Jokas
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



pesquisar