casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Terça-feira, 8 de Março de 2005
Na ressaca.....
Bom, lá se passou mais um aniversário. Que dizer sobre o mesmo? Parece que quanto mais digo à minha mulher que não quero saber de festas, mais ela insiste em as fazer. Este ano até tive direito a festa no Ribatejo, em casa dos meus pais, com a família toda e com a imprescindível presença dos meus sogros. Algo que obviamente, serviu para encarar os restantes 364 dias, que faltam para o meu próximo aniversário, com outra perspectiva. Talvez estas festas tenham um objectivo claro, mostra-me que nada pode ser pior que ter na mesma sala a minha mãe, a minha sogra e a minha mulher e que os problemas que eu começo a ter com a idade são completamente irrelevantes face a isso. Houve no entanto algo que me deixou bastante deprimido, foi o de ter na minha festa o meu primo mais novo. Porquê? Bom, obviamente que não é por ele ter apenas 25 anos. É essencialmente pelo que ele pode fazer com esses 25 anos, nomeadamente: o de poder saltar de moça para moça, deitar-se tarde e aguentar o dia seguinte sem problemas, comer tudo o que quiser e não engordar, conseguir mijar de pé sem se preocupar se molha ou não a tampa da sanita, poder sair de festas chatas (da minha, neste caso) sem ter que pedir autorização e sem que ninguém fique ofendido, só porque é puto, enquanto eu, só por me ter demorado mais do que o normal na casa de banho, levei logo seca, como se eu tivesse culpa que me tenha dado uma vontade enorme de ler na integra os “Lusíadas” enquanto fingia que cagava. Mas o que mais me custou, foi o de lhe ter pedido (não digo implorado porque ficava mal) para me levar com ele, e ele ter julgado que eu estava na brincadeira. PORRA PUTO, ERAS A MINHA ESPERANÇA E ESTAVA A FALAR A SÉRIO E TU DEIXASTE-ME NO MEIO DAQUILO.
E o que acontece quando um gajo tenta desabafar com o seu melhor amigo (a minha mulher)? Leva mais seca: porque sou um parvalhão, porque quando tinha 25 anos já vivia com ela e não podia saltar de moça em moça, que nunca gostei muito de sair, que só mijo a tampa da sanita quando não mijo sentado, que sou um invejoso e traumatizado com a idade, e sei lá mais o quê… INVEJOSO????? Só ela é que pode ser invejosa com a idade dos outros? Sim, porque não vejo outra razão para ela pôr todos aqueles cremes, na cara e no corpo, senão a inveja pelo facto de as outras começarem a parecer mais nova que ela. TOMA.
Continuando. Nem tudo foi mau, como já não estamos para grandes noitadas às 10 da noite a festa estava terminada, pelo que ainda deu para irmos ao cinema, a um pub e terminar a nossa jornada vendo o sol a nascer no campo. Pois…..
Falta falar do mais importante: AS PRENDAS. Porra, este ano ela excedeu-se. Fui falado no Tal&Qual (obrigado Kalvin pela informação). Não sei quanto é que ela pagou, mas seja lá o que tenha sido, foi o suficiente para me esquecer que fazia anos, para além de ter aumentado as vendas do jornal por ter telefonado para todos os meus amigos, ameaçando-os com um almoço comemorativo, feito pela minha mulher, caso eles não comprassem, pelo menos, dois exemplares do jornal (um para emoldurar e outro para recortarem e andarem com o artigo na carteira). Acho que tenho que manter a minha depressão pré-aniversário, assim para o ano, talvez ela me compre a tão desejada Harley.
Ok, agora mais a sério. Deu-me um par de patins……Pois…..Um par de patins em linha. O que ela faz para me fazer rir. Quando lhe perguntei para o que era aquilo, ela disse-me que, uma vez que não queria ir para um ginásio, que os meus dias de natação acabaram, que o Taikindo (ou lá como isso se chama) nunca mais. Pelo menos ficava contente com a ginástica que eu iria fazer para me tentar equilibrar naquilo, para além de ser mais uma forma que eu iria ter de a fazer rir imenso. Eu disse-lhe que ela estava doida se pensava que eu ia usar aquilo. Ela depois disse-me o preço e disse-me que tinha queimado o talão pelo que não dava para trocar. Assim, pelas minhas contas, tenho que usar os patins todos os dias, durante três anos, até que sinta que os mesmos tenham sido amortizados. Caso notem uma diminuição no número de artigos aqui publicados, pensem que com um braço partido é mais difícil de escrever.
publicado por Luis às 08:52
link do post | comentar | favorito
|

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar