casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Quinta-feira, 12 de Maio de 2005
Uma experiência científica.....
Já por aqui falei várias vezes sobre a condução e a minha mulher, ou mais concretamente, da forma de condução da minha mulher. Trata-se de um assunto inesgotável, o qual, nos meus tempos livres (quando ela está a falar comigo sobre arrumações e coisas que temos que comprar) tento analisar e tirar algumas conclusões. Ontem, durante um desses tempos livres, cheguei a uma hipótese interessante e como bom cientista que sou, resolvi hoje testá-la para a confirmar, ou não. Acontece que, como em qualquer boa experiência, os resultados levantaram outras hipóteses que futuramente terei que analisar. De qualquer forma, eis a descrição da mesma.
Hipótese- É possível controlar a condução da minha mulher apenas e só através de simples (e inocentes) comentários.
Conclusão da experiência- Confirma-se a hipótese, sendo os seguintes comentários os que devem ser utilizados, para conseguir controlar remotamente o carro, quando é a minha mulher a guiar:
Para fazer com que seja ela a guiar o carro: “Hoje é melhor ser eu a levar o carro, porque tu…” (deixar no ar a restante parte do comentário).
Para fazer com que ela acelere: Não falar nem fazer qualquer comentário.
Para fazer com que ela desacelere: Conversar sobre coisas banais. (Esta levantou uma outra hipótese que tentarei analisar em breve: Será que a zona do cérebro responsável pela condução é a mesma da tagarelice? Se sim, levanta-se aqui uma questão importante, uma vez que essa é a zona do cérebro mais desenvolvida na mulher: porque razão não conseguem fazer as duas coisas em simultâneo?)
Continuando. Para fazer com que ela aumente o volume do rádio: Pôr-me a cantar um tom acima do normal.
Para fazer com que ela desligue o rádio e me chame nomes: Pôr-me a cantar dois tons acima do normal.
Para fazer com que ela não ultrapasse um carro: Dizer-lhe para ultrapassar.
Para fazer com que ela ultrapasse um carro: Dizer-lhe que ela conduz como a minha mãe.
Para fazer com que ela ultrapasse TODOS os carros: Dizer-lhe que ela conduz como a sua mãe. (nota: NUNCA VOLTAR A DIZER ISSO)
Para fazer com que ela pare e me deixe sair a meio do caminho: Falar-lhe desta minha experiência.
publicado por Luis às 13:23
link do post | comentar | favorito (1)
|

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar