casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Sexta-feira, 17 de Junho de 2005
A história do quadro do não gostei…..
Bom, vamos então fugir um pouco, mais uma vez, ao tema central deste blog (deixar mal vista a minha mulher) e falar no quadro do não gostei.
Tudo começou com a mania que temos de “educar” a nossa filha. Pois não é suficiente sentar-me direito na mesa, nem deixar de refilar com a comida, nem deixar de arrotar, nem.....etc. Chegou um dia com a ideia divinal de criar o quadro da família, o qual é composto por quatro quadros: Quero Fazer; Já Fizemos; Gostei; Não Gostei.
O primeiro está essencialmente preenchido por mim: “Quero ver mais vezes televisão sossegado” “Quero ficar deitado mais tempo durante o fim-de-semana” “Quero ganhar mais dinheiro para poder ter uma cozinheira a tempo inteiro” “E já agora quero paz no mundo.” Obviamente que esta última, é a frase que a minha mulher acrescenta, sempre que eu junto mais uma tarefa no quadro do Quero Fazer (e que ela resolveu passar a chamar de Quadro das Utopias).
A segunda é composto por mariquices das moças que vivem comigo: “Plantámos umas flores” (e nasceram ervas daninhas) “Fomos à praia o fim-de-semana” (e não foi nada bom) “Fizemos um bolo muito bonito” (mas nada comestível) e etc. Elas fartam-se de ralhar comigo pelos meus constantes parêntesis, mas sem eles aquilo fica muito parecido com…..bom, com mariquices de mulheres.
O terceiro serve, quase em exclusivo, para lá escrevermos coisas que gostámos que a nossa filha tenha feito: “Já sabe comer com garfo e faca” “Fez um desenho muito bonito da família” “Ajudou a pai a pôr e a tirar a mesa e assim vai continuar a fazer até que saia de casa, quando já ganhar para isso, ou tiver 25 anos (o que ocorrer primeiro)” “Hoje deu um pontapé onde o pai ensinou, a um menino que a empurrou e lhe bateu” “Hoje ensinou uma amiga a dar pontapés no sitio onde o pai a ensinou, para que ela também se possa defender dos meninos mal educados”.
Finalmente temos o quadro do não gostei, o qual é usado com alegria, diga-se de passagem, pelas duas, para lá despejarem todas as pequenas nuances linguísticas que escapam, por várias e diversas razões, da minha boca. Perdendo-se assim, aquele que deveria de ser o seu objectivo principal: ensinar à moça o que ELA não deve de fazer, como por exemplo: “Não gostei que a filha tivesse deixado de ajudar o pai a arrumar a loiça com a desculpa (dada pela mãe) de que parte muitos copos. Porque razão é que isso também não pode ser usado pelo pai como desculpa? Mais uma vez, temos uma evidente descriminação sexual nesta família”
publicado por Luis às 00:22
link do post | comentar | favorito (1)
|

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar