casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Domingo, 31 de Julho de 2005
Ser prática......
Ser prática é uma característica que a minha mulher julga que tem. Assim como julga que é muito eficiente e que cozinha muito bem. Claro que quando ela diz estas coisas, tenho sérias dificuldades em manter uma cara séria e em ficar calado. Daí resultam sempre sanções disciplinares, que vão desde a obrigação de esfregar o fundo do tacho onde ela fez o seu famoso molho branco (famoso devido aos lindos efeitos que seu fumo intenso faz quando sai pela chaminé da cozinha) até ao óbvio e clássico “NÃO ME CHATEIES.” quando nos vamos deitar.
Mas vamos falar do ser prática. Ser prática para a minha mulher é ser uma mulher desenrascada, ou seja, quando precisa de fazer algo, não me pede, agarra no berbequim e assim que a oiço perguntar onde está a coisinha para aparafusar a outra coisa que faz os buracos, já sei que o que o meu descanso acabou. Sim, porque ser prática para a minha mulher é afirmar, junto de quem quer que seja, que não precisa de mim para nada mas depois, quando é para fazer algo…..tenho três hipóteses:
1. Passar o tempo a levantar-me para lhe ir dizendo, aos poucos, todos os passos que ela tem que dar (porque se me atrever a dizer-lhe logo tudo, é porque estou a insinuar que ela é uma incapaz) como resultado temos discussão, porque me canso de estar constantemente a mostrar-lhe porque razão a sua “praticabilidade” dá cabo da minha paciência.
2. Ser eu a fazer, em 10 minutos, o que ela demora a fazer duas horas (por exemplo lavar o carro). Mas isso seria terminar o meu descanso e promover o seu. E todos os homens sabem (ou deviam saber) que uma mulher cansada é uma mulher que grita baixinho.
3. A terceira e última hipótese é a minha preferida, basta eu dizer, de uma forma subtil, algo que lhe dê a entender, que ela nunca irá conseguir fazer sozinha a tarefa a que se propôs (dizendo, a rir, algo do tipo: “Mas tu achas que tens capacidades para fazer isso?”) para ela, com o seu magnífico orgulho, me deixar sossegado durante as restantes horas do dia. Tem ainda a vantagem de melhorar sempre o meu estado de humor, pois farto-me de rir com a carrada de asneiras que ela vai dizendo (à medida que vai trabalhando) e com a sua extrema irritação, por ver o prazer com que eu e a nossa filha as escrevemos no quadro do não gostei.

Agora estamos a fazer as malas para UMA SEMANA NA PRAIA e mais uma vez a sua praticabilidade está em acção, pior….já cá está a minha sogra que se juntou a ela e, neste momento, devem de estar a pensar numa forma prática de levar as toneladas de roupa que tiraram dos armários, mais os cinquenta pares de sapatos e os vinte pares de sandálias e sei lá mais que quê que ela precisa para a sua vida diária. Presumo que estejam a pensar numa forma de colocar rodas na casa e de a atrelar ao carro.
publicado por Luis às 23:27
link do post | comentar | favorito (1)
|

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar