casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Segunda-feira, 12 de Setembro de 2005
O Ser (parte 2).....
Agora ali estavam, prestes a jantar. O ser estava a começar a dar sinais de fraqueza, em breve iria libertar aquele pobre corpo. Mas antes.....antes havia ainda o jantar.....o jantar.... Massa de cuscuz, misturada com atum, fiambre, cogumelos e courgettes…. A sua última tortura.
Quando o jantar terminou, o seu olhar voltou ao normal. O ser tinha partido. O seu corpo pertencia-lhe novamente. Nada do que se tinha passado, durante aquele terrível dia, estava na sua memória. O sorriso que a ilumina, voltou aos seus belos lábios.
- Então? Os meus amores comeram bem? – perguntou, enquanto ajudava a levantar a mesa. As luzes voltaram a ter o seu brilho normal, a névoa, que durante todo o dia tinha invadido a casa, dissipou-se completamente.
- Filha, vens comigo beber um chá? Deixamos o paizinho sossegado para ver se descansa um pouco as costas e se as hérnias lhe dão um pouco de paz.
Passado pouco tempo saíram de casa. O silêncio instalou-se. Suspiros de alívio começaram a sair mecanicamente de dentro de si…….tinha terminado. Olhou à sua volta. A ordem estava novamente instalada. Percorreu todas as divisões. Estavam diferentes. Móveis tinham passado de um local para outro, mesas tinham em cima novos e diferentes objectos, molduras de fotografias estavam agora espalhadas por ordem cronológica. Parecia uma nova casa. Reteve-se algum tempo no quarto de brincar da filha. Estremeceu quando se recordou na tortura que, ainda há algumas horas, ela ali tinha sofrido:
“ Os telemóveis de brincar são aqui. As barbies são para ser arrumadas aqui. Não quero ver mais peças pequenas perdidas atrás de almofadas. Os jogos estão ordenados por idade, E ASSIM QUERO QUE FIQUEM. Todos estes brinquedos que só aqui estão a ocupar espaço vão ser dados. E NÃO QUERO CHORADEIRA.”
Também o quarto de hóspedes lhe trouxe amargas recordações. Olhou para o resultado da sua tortura ao mesmo tempo que massajava as costas, tentando dessa forma, obter algum alívio das dores que resultaram de todo aquele penoso trabalho. A um canto encontravam-se diversos objectos embrulhados em plásticos. Recordou-se do quanto sofreu para desmontar e embrulhar o antigo berço, as dores causadas pelo embrulhar do suporte de madeira antigamente utilizado como muda fraldas, a ginástica que teve que fazer para embrulhar o cavalo de madeira e uma outra série de objectos que o ser considerou como pertencentes ao sotão. Lágrimas voltaram aos seus olhos. Limpou-as ao mesmo tempo que afastava esses dolorosos pensamentos. Já tinha acabado, pensou, enquanto um suspiro profundo e incontrolável o libertou.
Foi para o quarto e deitou-se. Quando elas chegaram estava a ler. Ouviu-as a rir. Sorriu também. Já estava tudo esquecido....até ao próximo ano....afastou rapidamente este último pensamento e ficou a ouvi-las. Foi dar um beijo à filha e veio com a sua amada para a cama. Falaram, leram e tudo estava, finalmente, normal. Deu um último suspiro de alívio. Quando estava a apagar a luz, ela disse:
- Amanhã tens que levar tudo o que está embrulhado no quarto de hóspedes para o sotão. E amanhã é a vez de IR ARRUMAR A GARAGEM. HAHAHAHAHAHA.
- NÃO….. A GARAGEM NÃO…..A GARAGEM É MINHA…. MINHA……. NÃÃÃÃÃÃOOOOOOOOOO….
Acordou em suor. Olhou em volta e viu a claridade de um novo dia. Tinha sido um sonho. Nada mais do que um sonho. Deixou-se cair para trás sorrindo....um terrível sonho....apenas isso. Ela entrou no quarto vinda da casa de banho. Estava nua e a claridade batia-lhe por trás. Uma visão divinal. Ele esperou pelo beijo que sabia que ela lhe vinha dar. Apertou-a fortemente nos seus braços. Precisava de esquecer aquele terrível pesadelo.
- Então amor, o que se passa? – perguntou-lhe ela.
- Nada. Só quero estar um pouco assim contigo. Nada mais.
- Está bem. – disse-lhe ela, aninhando-se nele. – Sabes......Estou a pensar em fazer as minhas arrumações anuais hoje. O que dizes? HAHAHAHAHAHAHAHA.
publicado por Luis às 22:02
link do post | comentar | favorito
|

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar