casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Sexta-feira, 6 de Junho de 2008
O parlamento explicado às crianças.....

 

- Pai para a semana, a professora quer nos levar a visitar a Assembleia da República. O que é isso?

- Ela não te explicou?

- Sim, mas quero que tu me expliques melhor.

- Ok. É uma espécie de Coliseu, como aquele que vimos em Roma.

- Fazem lá lutas? – pergunta-me desconfiada.

- Sim. Só que agora não se matam uns aos outros. Agora a luta é com palavras.

- Como é que eles lutam com palavras? – pergunta, com a desconfiança a aumentar.

- Existem várias equipas, que se chamam partidos. Cada partido tem que dizer o pior que conseguir de outro partido, de preferência do partido que tem mais jogadores. Para isso, todos os dias, é dada a cada equipa um tempo para falarem. Ganha o partido que conseguir ofender mais o outro.

- Parece fácil.

- Isso pensas tu. Existem três regras: Em primeiro lugar só podem usar palavras muito esquisitas, ou seja, não podem ofender, as outras equipas, com palavras simples, como por exemplo, chamando burro, estúpido, parvo, etc. Têm que usar frases e palavras elaboradas, que não se ouvem muito nas conversas normais, de preferência tiradas de livros, para dar um ar de que são pessoas muito inteligentes. Depois têm que conhecer muito bem o passado de todos os membros de todas as outras equipa: o que fizeram, o que não fizeram, o que já disseram, quando é que o disseram, etc.. E finalmente têm que fazer rir, com o que dizem, toda a gente. Esta última parte é muito complicada, pois quem está a ser ofendido, normalmente, não acha piada nenhuma.

- E quem está a ganhar esse jogo?

- Ninguém filha. Estão sempre empatados. Por isso é que de 4 em 4 anos nós votamos para renovar as equipas. Para ver se assim o jogo acaba.

- Mas a professora disse-me que é na Assembleia que fazem as leis que mandam no nosso país. – diz-me ela, mostrando uma enorme desconfiança por tudo o que lhe tinha dito.

- A tua professora quer-vos fazer uma surpresa. Vais ver quando lá chegares, se eu tenho ou não razão. Mas se não acreditas em mim, posso te mostrar uns vídeos.

- Está bem. Mostra-me! – diz a incrédula.

 

Dado o volume de exemplos existentes na Net, esta foi a teoria de faz de conta, que mais rapidamente lhe consegui impingir.
publicado por Luis às 22:18
link do post | comentar | favorito
|
10 comentários:
De Joq a 6 de Junho de 2008 às 23:51
Boa noite.
Hoje tenho a honra de ser o primeiro.
Mas as hostilidades já foram abertas pelo exmo Casado, que magistralmente explicou o que fazem 250 (Duzentos e Cinquenta) parasitas com o nosso dinheiro.
Será que não podiamos fazer (escolher) melhor?
Mas por outro lado se para uma qualquer Associação não há nunca pessoas de qualidade suficientes para ajudarem, como se conseguem juntar milhares de parasitas (estou a contar com os assessores, assessores dos assessores secretariado, etc ) que se juntam ali?
Fica a dúvida.
Em relação ao escrito, só reafirmar que o Casado está em grande forma.
JorgeQ
De Luis a 9 de Junho de 2008 às 11:40
Pessoalmente não acho que sejam 250 parasitas. Acho que são apenas 230 ;) (pelo menos é o que diz a página oficial da nossa Assembleia)
Mas falando um pouco mais a sério, não queria colocar com este post, todos os deputados no mesmo saco, até porque tive a felicidade de conhecer e falar com alguns deles: 2 do PSD (1 deles independente); 1 do BE; e 2 do PCP (1 deles já não é considerado(a) deputado(a) do grupo parlamentar do PCP) e sinceramente pareceram-me pessoas realmente empenhadas e motivadas para mudarem as coisas para melhor.
Infelizmente não é essa a imagem que muitas vezes a comunicação social nos dá, muito por culpa da grande "fogueira de vaidades" em que o nosso parlamento se tornou. Em termos gerais, falta uma grande dose de humildade à maioria dos nossos representantes.
De DyDa/Flordeliz a 8 de Junho de 2008 às 02:35
Se fosse tão fácil "eles" fazerem-se entender no parlamento como explicou à sua filha, acredito que não precisavam de usar tanto vocabulário, nomes estranhos e troca de galhardetes uns aos outros.
Oretrato que fez é tão real, que até faz tristeza!
Como sempre...Divino!
De Camila a 8 de Junho de 2008 às 14:25
hahaha... muito boa a explicação.

O congresso aqui é a mesma coisa! uma luta de gladiadores de terno e conhecedores de maquiavel


beijos daqui...
De xana a 9 de Junho de 2008 às 00:13
Bela explicação, sim senhor. Eu já acho que qualquer dia esse pessoal, vai fazer como na Ilha Formosa, de tanto se degladiarem, acabam por começar a voar cadeiras directas às cabecinhas pensadoras... Mas lá que são motivos de umas boas risadas cá fora não há a menor dúvida.
De Koala a 9 de Junho de 2008 às 13:49
Ora aí está uma explicação à medida!!!
De Diogo a 15 de Junho de 2008 às 13:38
Acho uma péssima explicação! Depois queixam-se que os jovens não gostam de política. Se calhar, é porque a maioria dos adultos não a entende. E se todos são assim tão melhores e podem fazer muito mais, nada como se tornarem militantes do partido com que mais se identificam e tornarem-no melhor e mais eficaz e fazerem mais por Portugal. São tão maus uns como os outros. Os portugueses a queixarem-se da falta de trabalho dos políticos e os políticos a dizerem que o país produz pouco. E assim se vive feliz e conformado em Portugal...
De Luis a 16 de Junho de 2008 às 17:28
Ora aí está! Num só comentário consegues falar de duas das coisas que mais me irritam no ser humano:
1- A mania que todos têm de ser treinadores de bancada, mas depois quando é para dar um passo em frente, aparecem uma série de desculpas para justificar o eterno comodismo.
2- O enorme desejo de tentar apanhar alguém em falso (tentando dessa forma mostrar uma superioridade moral e/ou intelectual) não tendo o cuidado básico de, antes de "criticar", conhecer o alvo da sua "crítica" evitando assim dizer baboseiras.
De Vera & Mariana a 21 de Agosto de 2008 às 20:22
Concordo inteiramente. Apesar de admitir que o senhor que escreve neste blog é de' se lhe tirar o chapéu'. Originalidade. Inteligencia e desenvoltura intelectual são caracteristicas que o definem. Mas quanto à politica, concordo com o comentario, pois cada dia vejo mais pessoas a nao quererem saber da mesma. Eu entendo que estejamos em crise, que os impostos aumentam, o poder de compra desce em flecha, que o preço dos combustiveis aumenta descontroladamente sem que o estado faça o que para mim seria a soluçao: Nacionalizar o preço dos combustiveis, tabelar os preços para que a Galp, a Bp, nao encham os bolsos com o dinheiro dos consumidores. Mas isso digo eu que nao estou la. No entanto, acredito que existem partidos, teorias, formas de implementar a politica que mudariam decerto o rumo do nosso País. Aproveito para vos dizer : VIVA O NELSON EVORA! Beijinho ^^
De Kaoro a 27 de Março de 2009 às 16:46
Muito bom...Nada melhor do que umas risatas para descontrair...lol

Comentar post

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar