casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Segunda-feira, 24 de Dezembro de 2007
Coisas sem sentido....
Eu e a minha filha, em viagem de carro:
- Pai, estou à rasca para fazer chichi.
- E aguentas até a casa?
- Sim. Mas tenta não passar pelos buracos. - pede-me.
- Ok. E então o que é que fizeste hoje?
- Não conto.
- Se não contas, passo por todos os buracos que encontrar.
- Porque é que tu gostas tanto de me chatear? - pergunta-me ela, amuada.
- Porque te adoro.
- Não percebo isso!
- Eu explico. É como se fosse um conto de natal.
- Um conto de natal? Boa, conta! Mas não passes pelos buracos. - pede-me, entusiasmada.
- Está bem. Era uma vez um menino, igual a tantos outros meninos, ia à escola, era traquinas, brincalhão e também gostava muito de doces.
- Eras tu?
- Não digo, tens que ouvir até ao fim, senão....
- Passas por buracos, já sei. - diz ela, amuada.
- Certo dia, o menino acordou e quando se olhou para o espelho, começou e ver bolhas a crescer na sua cara. Achou estranho, mas não ligou muito. No entanto, com as bolhas, começou a reparar em outras coisas estranhas. Começou a reparar que, por vezes falava, mas as pessoas apenas ficavam a olhar para ele, como se não o entendessem. No inicio, pensou que isso era apenas porque as pessoas com quem falava, não lavavam bem as orelhas, mas à medida que os dias passavam e que ele crescia, começou a reparar que cada vez menos, as pessoas o entendiam. Chegou então um dia, em que ele acordou e viu que já não tinha corpo de menino, era um homem. Mas foi também, a partir desse dia, que ele se apercebeu que já ninguém o entendia. Parecia, a todos, que aquele homem falava numa língua completamente estranha. Fosse para onde fosse, estivesse com quem estivesse, ninguém o conseguia perceber. Mas um dia, encontrou uma rapariga. Essa rapariga era diferente de todas as outras que ele tinha conhecido. Para já, era muito teimosa e tinha muito mau feitio.
- Era a mãe?
- Se não era, era muito parecida. Mas se continuas a interromper-me, nunca mais acabo a história e ficas sem saber porque eu tenho que te chatear.
- Está bem. Continua.
- Essa moça era tão teimosa, que não descansou enquanto não percebeu o que rapaz dizia. E assim começaram a andar os dois juntos. Juntos aprenderam um com o outro: a rapariga aprendeu a linguagem do rapaz, e o rapaz aprendeu a linguagem da rapariga. Resolveram então casar. No inicio era um pouco difícil, pois existiam alturas em que não se entendiam. Mas com o tempo, e muita paciência aprenderam a falar um com o outro. Mas o rapaz continuava a ter um problema, continuava a não saber falar com as outras pessoas, e não entendia porquê. Então um dia tiveram uma filha. Uma filha linda, teimosa e com um mau feitio igual ao da mãe.
- Era eu?
- Se calhar. Posso acabar a história? Já não estás à rasca para ir à casa de banho? – pergunto-lhe, uma vez que já tinha estacionado o carro.
- Sim, mas agora quero ouvir o fim.
- Então ouve: Quando essa filha nasceu, ao principio também falava uma linguagem estranha que nenhum dos pais entendia. Os pais ficaram um pouco assustados, mas com o tempo a filha ensinou-os a compreendê-la. Mas, mais importante ainda, a filha mostrou ao pai o que ele tinha que fazer para conseguir falar com os outros adultos.
- A sério?! O quê, pai?
- Mostrou ao pai que ele não passava de um menino preso, dentro do corpo de um homem, e que enquanto não deixasse esse menino sair, não iria ser capaz de falar com os adultos. Foi assim que o homem-menino, percebeu por que razão ninguém o entendia e começou, finalmente, a falar com os outros adultos. Muitos deles continuam sem o perceber, mas o menino-homem já não se preocupava com isso.
- E o que tem isso tudo a ver, com tu me estares sempre a chatear?
- É uma das formas que eu tenho, para te mostrar que deves ser sempre uma criança, por mais idade que tenhas.
- Acho que ainda falas de uma maneira esquisita, pois eu não percebi essa última parte.
- Vais perceber um dia, mas agora toca a ir fazer chichi antes que me inundes o carro. Já chega o cheiro dos puns que deste na viagem. – digo-lhe, enquanto abro a porta do carro.
- EU NÃO DEI PUNS!
publicado por Luis às 20:41
link do post | comentar | favorito
|
28 comentários:
De rosa a 25 de Dezembro de 2007 às 08:28
tao fixe :) bom natal
De Felina a 25 de Dezembro de 2007 às 17:41
é tão bom ensiná-los a falar a nossa língua e a viver no nosso mundo! Enquanto é possível!!!

Beijinhos!
De Beijaflor a 25 de Dezembro de 2007 às 23:05
Adorei a mensagem! Afinal não devemos deixar de ser um pouco crianças...
Que sentido teria a vida, não é?

Beijos e continuação de Boas Festas
De ______ a 26 de Dezembro de 2007 às 11:34
As coisas q a malta faz para ganhar um livro, tive a pachorra (e a audácia diga-se!) de ler os comentários desde que prantaste aqui esse ( presume-se!!) maravilhoso "contest" e contesto: EU NÃO QUERO! Basta-me ler-te aqui apre! ( Ainda que ache a capa da 'coisa' bem conseguida!)

De mother_24 a 26 de Dezembro de 2007 às 12:36
Primeiro e sabendo que estou atrazadissima, dai as mais sinceras desculpas (ou nem por isso)

FELIZ NATAL :D

Segundo: Esta história teve o unico propósito de chatear mais a tua filha, confessa lá!!

Terceiro: Ou isso ou tinhas de arranjar uma maneira da miuda aguentar o máximo de tempo possivel antes de chegares a um WC

Quarto: Ok mas seja como for a mensagem a retêr foi comuvente... eu bem tento segui-la, mas esta cena de viver no mundo dos adultos é buéda fatela, não é??

beijocas casado
De bruno a 26 de Dezembro de 2007 às 22:41
pois, um dia a miúda vai crescer e não vai ficar nada contente de saber que o mundo sabe que ela dá puns!
pior que isso, ela deu puns numa viagem e o pai dela escreveu isso no blog...




De Shootingstar a 27 de Dezembro de 2007 às 00:07
Já passei várias vezes para ler e ... acabei por ficar totalmente viciada neste blogue!!! Parabéns pela criatividade e facilidade de escrita harmoniosa! Já coloquei este local na minha lista de preferidos!!! O máximo! Voltarei em breve para comentar e ler mais. Até lá ficam os votos de óptimas entradas em 2008 para o autor e para a família!!!
De eskisito a 27 de Dezembro de 2007 às 11:56
Comovente...principalmente a parte dos puns. Um pequeno consolo num Natal cheio de mensagens lamechas e coisas que tal.
Um abraço e votos que tenhas passado um excelente natal.
De catarina a 27 de Dezembro de 2007 às 18:49
Que historia bonita!
Gosto muito de vir ler o seu blog, apesar de nunca ter comentado.
De elsO lUiz a 27 de Dezembro de 2007 às 19:35
algO trOUxe-me aqUi OUtra vez...
percebO qUe a sUa essência cOntinUa igUal..
Um nOvO anO cOm mUita lUz!

Comentar post

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar