casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Sexta-feira, 9 de Julho de 2004
Os prazeres de ter uma filha…..

Sempre esperei que o meu primeiro filho fosse um rapaz, tinha esperanças de poder ter com ele brincadeiras que o meu pai nunca teve comigo (jogar à bola, lutar, comer doces à escondidas da mãe, na sua adolescência sair com ele para conhecer gajas boas, etc.) assim fiquei um pouco desiludido quando ficámos a saber que íamos ter uma menina. Mas lá me conformei.
Nos primeiros tempos foi complicado, pois começou logo com as manias de mulher, sempre que não se faziam as coisas à sua maneira era um berreiro. Logo aí reparei que tinha herdado os piores genes da mãe, mas não esmoreci, nem mesmo quando, mais tarde, começou a dizer as suas primeiras palavras e estava constantemente a chamar-me mmãããããã… (e a minha mulher achava-lhe imensa piada, buuuffff…). No meu intimo sabia que dentro dela se estava a desencadear uma luta de genes e sabia que os meus genes eram pacientes, por isso não estranhei quando começamos a notar uma mudança de comportamento, lembro-me perfeitamente do dia em que reparei pela primeira vez nesta mudança. Foi perto do seu primeiro aniversário, até aí ela comia toda a comida que a mãe lhe fazia sem barafustar (o que obviamente não era normal) a partir daí começou a fazer caretas, sempre que a mãe vinha com a papa por ela feita. Sorri para dentro e pensei, aí vêm eles. Com o tempo foram-se sobrepondo aos genes da mãe (não a todos porque há uns que são invencíveis) e começou a extraordinária construção de uma personalidade espectacular. Agora, com três anos, sou, para ela, o herói, o melhor, o modelo a seguir, todas as minhas opiniões são leis, as minhas ordens são automaticamente encaradas como seus desejos. Não há nada comparável à sensação de chegar a casa depois de um dia de loucos no trabalho (onde só apetece é dar uma valente tareia à cambada de incompetentes e irresponsáveis que pensa que ter um emprego é só para ganhar dinheiro ao fim do mês e o resto são tretas) abrir a porta e ver aquela maravilha a correr para os meus braços para me dar um forte abraço, ou então quando, depois da mãe lhe contar a história (aí tem mesmo que ser a mãe) e quando lhe estou a dar o beijo de boas noites, ouvir da boca dela:
- Gosto muito de ti.
É o suficiente para encarar o outro dia com força e vontade de continuar a lutar contra aquilo que parecem moinhos de vento.
O que mais me fascina nesta sua fase é o seu gosto musical. Passo a explicar: a mãe tem o péssimo hábito de acordar sempre bem disposta, eu pelo contrário, sempre que acordo sinto-me como se estivesse num combate de boxe em que o juiz está a contar o tempo para eu me levantar do tapete….7,….8….. e lá tenho eu que fazer um esforço para me levantar antes do 10, daí resulta que preciso sempre de uns bons 15 a 20 minutos para sair do mundo dos sonhos, e não há nada mais irritante que estar nessa fase e ouvir uma galinha tonta aos pulos pela casa a cantar e a chatear-me:
- Então não acordas? Olha como o tempo está bom…..Hoje só dão 39º de temperatura…Vai estar quentinho….
Tento não responder porque senão já sei que vai dar discussão, mas penso:
- Que bom, sempre desejei morar dentro de um forno. Hoje talvez dê para levar os sapatos sem que as solas de borracha derretam.
- CALA-TE, TU CANTAS MAL - ouve-se do quarto dos fundos, a minha alma gémea acordou a refilar e sempre tão bem disposta como o pai.
- Filha, não sejas como o teu pai, a mãe não gosta e a mãe canta bem. - diz a mãe com ar triste.
- NÃO CANTAS NADA. O PAI É QUE CANTA BEM. NÃO É PAI? CANTA LÁ PARA A MÃE VER.
Bom, perante este pedido o que posso eu fazer, com a minha voz ainda mole com o sono começo a cantarolar algo que me venha à cabeça e que obviamente mais parece um grasnar de um corvo.
- VÊS MÃE COMO O PAI CANTA BEM.
Como eu a adoro.

publicado por Luis às 14:26
link do post | comentar | favorito
|

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar