casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Quinta-feira, 2 de Setembro de 2004
Os seus rituais…..
Quando começamos a viver juntos já ela trazia pequenas manias às quais nunca dei muita importância, convencido, na minha ingenuidade (também pensei que Santana Lopes e Paulo Portas nunca iam governar Portugal) que com o tempo isso ia passar. Mas com o tempo foram criando raízes e dando origem a outros. O que eu pensava que era uma experiência culinária passou a ser a sua sobremesa habitual (a que eu, carinhosamente, dou o nome de mixórdia) e que consiste numa mixórdia de frutas misturadas e colocadas dois minutos no microondas até ficar uma papa com um cheiro parecido ao de um atleta depois da maratona (depois queixa-se que eu e a nossa filha nunca lhe fazemos companhia quando ela está a comer a sua sobremesa). Depois da sobremesa não pode falhar o chá, quer estejamos no Inverno ou com 40ºC, aí de quem puser em causa este seu ritual, fica pelo menos três dias sem sexo devido ao amuo.
Pequeno parêntesis: Os amuos delas…. tentem evitar ao máximo que a vossa mulher/companheira/namorada fique amuada, pois amuo é igual a privação sexual e muito cuidado porque elas ficam amuadas pela mais pequena mariquice (um inocente e puro olhar babado para o peito de outra mulher é o suficiente, como se não fossem as comparações que fizeram a nossa sociedade evoluir). Tenho que tentar manter a máxima discrição quanto na Primavera e no Verão saio à rua com ela (ok, admito que também no Outono e no Inverno) até porque as nódoas negras causadas pelos seus pontapés também me causam incómodos. Porque raio é que elas são assim tão sensíveis? Se ela olhar para um homem e o gabar não é por causa disso que eu deixo de querer sexo com ela (basta-me imaginar que ela é outra e pronto). Somos tão simples. (ui, os comentários que este parágrafo vai originar….)
Continuando. Na altura de ir para a cama vem um dos rituais que mais me chateiam, ok eu tenho que admitir que as mulheres têm certos problemas que os homens dificilmente alguma vez terão (nunca me esqueço do seu esforço e das dores que teve no parto da nossa filha, é algo que me emocionou e pelo qual tenho uma admiração sem limites, sinceramente, depois do que vi, não sei se eu pensaria alguma vez em ter outro filho, mas ela, ainda no dia do parto, disse-me: “Dizem que no segundo custa menos.”). Eu entendo que as varizes são uma chatice, por isso compramos um colchão (bem caro e bem duro) que, diziam, iria atenuar os seus problemas. Por isso está em tratamentos de acupunctura, os quais lhe parecem estar a fazer maravilhas, mas, habitou-se a dormir com uma almofada (não é bem uma almofada, mas sim várias) debaixo dos pés para melhorar a circulação, até aqui tudo bem, o problema é quando, no Inverno, devido à altura das malditas almofadas, acordo destapado porque os lençóis e cobertores não chegam para me cobrir e embora ela própria admita que provavelmente já não precisa das almofadas para nada, uma vez que até acorda de manhã com as almofadas todas no chão (graças aos chutos que lhes dou enquanto ela está a dormir) e sem dores nenhumas, não adianta, as almofadas vieram para ficar. Começo a perceber porque é que alguns casais dormem em camas separadas. Outro ritual, que eu também tenho, é o de fazer da casa de banho uma biblioteca. Consegue ficar meia hora sentada na retrete a ler um livro. Porra, eu ainda não descobri um livro que fosse tão interessante que me fizesse esquecer as dores nas pernas que me aparecem passado cerca de dez minutos. Ela diz que é devido à falta de ginástica, eu respondo que a prática de sexo equivale a 20 minutos a correr e que segundo o meu médico eu precisava de correr todos os dias (ok, estou a exagerar. Não estou assim tão gordo que precise de tanta ginástica). Finalmente, o melhor para o fim. As suas corridas matinais. Sim, todos os dias (faça chuva ou sol, calor ou frio) tem que ir correr, porque senão fica embirrante, diz ela (sinceramente não vejo qualquer diferença quando ela vai correr e quando, por razões muito sérias, não vai. A embirrice está sempre presente.) e o que é que isso me faz? Bom, faz que, quer seja dia de trabalho, férias ou fim de semana, a MERDA DO SEU DESPERTADOR tem que tocar. Durante os dias de semana é às 6.00h durante o fim de semana e nas férias é às 9.00h. Já lhe disse que, segundo uma advogada nossa amiga, isso é mais do que justificação para divórcio, mas ela está-se a borrifar, diz que eu nunca ia encontrar ninguém que me aturasse como ela me atura (porra, quando ela diz isto fico sempre sem palavras, ainda não percebi se é por ela ter razão ou por dizer isso e depois me dar um beijo apaixonado). Já tentei alterar as horas do despertador mas a partir daí passou a ser o despertador e o telemóvel. Se depois de ela acordar eu pudesse ficar sossegado, eu ainda podia aguentar, mas não. A sua delicadeza ao abrir estores, portas, armários, gavetas, tomar banho, CANTAR DURANTE O BANHO, etc. é muito semelhante à minha quando a mando calar “SE FOSSES FAZER BARULHO PARA O #$%&~# DA %&##$%. @#$%#% DE MULHER QUE ME CALHOU. CALA-TE E DEIXA-ME DORMIR EM PAZ. &%$#$#$ E $%@#$##”.
publicado por Luis às 22:25
link do post | comentar | favorito
|

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar