casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Quarta-feira, 15 de Setembro de 2004
As chatices que a minha filha me dᅅ
Como se não bastasse a mãe, ainda tenho as mariquices da minha filha para aturar. Entrou na fase da Barbie. É o fato de treino da Barbie, é o guarda-chuva da Barbie, é a mochila da Barbie, é a bicicleta da Barbie, é a grandessíssima bosta de elefante conjugada com a merda de uma baleia azul com uma valente diarreia, do DVD da Barbie e é sei lá mais o quê, que os cabrões que tem o exclusivo dessa boneca da qual não existe um palavrão suficientemente forte para ela (estava a pensar nalguns cozinhados da minha mulher, mas porra, não é preciso exagerar e estar sempre a falar do mesmo) se lembram de inventar. A única coisa boa que as bonecas da Barbie têm é que as cabeças são arrancadas facilmente.
No inicio da semana fomos à biblioteca, ofereci-me para lhe ler o que ela quisesse, enquanto abanava, à sua frente, o livro da Branca de Neve e os Sete Anões, mas ela descobriu um livro da Barbie. Eu disse-lhe que só lia o livro da Barbie depois da história da Branca de Neve (há que dar consciência política à moça) e assim foi. Bem se borrifou ela para a consciência política da história: a exploração da classe operária (os anões) pelo grande capital (a Branca de Neve) exploração essa mantida graças à ilusão de que o grande capital, um dia, lhes dará o prazer que eles desejam (nota mental: não ler crónicas do Luís Delgado antes de contar histórias infantis pois essas fabulosas crónicas provocam-me - para além da óbvia vontade de rir – alguns exageros no meu sentido de humor). Bom, quando passei para a história da Barbie, bem que tentei dar uma versão diferente da merda que lá estava escrita:”A Barbie é sempre a mais bem vestida de qualquer festa.” BLARGH. “A Barbie é uma burguesa que obriga meninos pequeninos a fazerem todos os seus vestidos e enquanto ela vai para as festas, os meninos ficam sozinhos e a chorar porque a Barbie nunca os deixa brincar.” – digo eu. “E os meninos fazem vestidos muito bonitos”.- afirma ela. E assim foi até ao final da história, eu a inventar coisas horríveis da Barbie e ela a ouvir só o que lhe interessava (feitio da mãe). Isto deve ter algo a ver com o facto de ela nunca querer que seja eu a contar-lhe histórias na hora de ir para a cama.
“Então o que é que queres para os teus anos?”- pergunto eu. “Um prato da Barbie.”- responde ela. “E para o Natal?”- volto a perguntar. “Um copo da Barbie.”- responde. “Ok e para o ano, nos teus anos, dou-te o garfo da Barbie e no Natal dou-te a colher. Pode ser?” – continuo eu, que esta merda da mania da Barbie não pode ter só desvantagens. “Está bem. Mas não te esqueças da faca da Barbie.”- diz-me ela. “Ó filha não sejas garganeira senão não levas nada.” – finalizo eu. “E quem é que tu queres convidar para os teus anos?”- pergunto. “A avó mais o avô mais……. e ……. mais …. e o meu namolado.”- diz ela. O NAMORADO. Porra, eu com a idade dela só gostava das miúdas porque tinham cabelos compridos que davam para puxar. Agora ela, desde que foi o ano passado para a pré-primária, só fala no namorado. Que raio de hormonas é que o leite de vaca tem agora para dar isto? Aqui há uns dias ouvia-a a cantar, com o ritmo que herdou aqui do pai, algo de parecido com os Tribalistas: “Já sei namolal. Dal beijinho na língua. Já sei namolal.” A parte do namorar já começo a estar habituado, agora aquela coisa da língua. Mas o que é isto? Ainda por cima, para além do DVD da Barbie, o seu vídeo preferido é o do nosso casamento, nomeadamente a parte em que nos beijamos, onde ela fica (estranhamente para a idade dela) emocionada. Querem ver que afinal tenho que comprar mais cedo o cinto de castidade que só tinha previsto para quando ela fizesse 12 anos?
publicado por Luis às 12:38
link do post | comentar | favorito
|

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar