casado

Ver perfil


RSS


Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Diário de bordo 6346...

Diário de bordo 3635...

Diário de bordo 345

Diário de bordo número qu...

Diário de bordo...4

Diário de bordo...3

Diário de bordo...2

Diário de bordo...

Mas que raio....

Mais uma mulher na minha ...

casado

Segunda-feira, 31 de Janeiro de 2005
Astros e signos……

Aqui há uns anos recebi uma carta pessoal de uma astróloga qualquer. Vinha-me endereçada e estava escrita de uma forma muito pessoal. Porra, fiquei impressionado, não só sabia o meu nome e respectivo endereço, como sabia que eu tinha problemas que, só alguém com capacidades transcendentes, poderia resolver. Obviamente que devorei a carta convencido que lá dentro estava a resposta a todos os meus problemas. No entanto fiquei desiludido. Porra, nada do que lá estava escrito tinha a ver com os problemas que mais me afectavam. Fiquei lixado com aquilo e resolvi-lhe escrever uma carta, também pessoal:
“Minha amiga,
Estou-te a escrever para te dizer que a nossa amizade corre o sério risco de terminar. Porquê? Perguntas tu, se ainda agora nos começámos a corresponder? Eu explico, apareces na minha caixa de correio a chamar-me amigo, afirmando que vais mudar a minha vida, com a promessa de me resolveres todos os meus problemas. Depois só falas de porras que não me interessam para nada. Se o meu problema fosse dinheiro de certeza que não o ia gastar a responder-te e a dar-te algum dele. Se o meu problema fosse amor, também não era a ti que ia pedir ajuda (algo me faz desconfiar que és uma pessoa muito solitária). Problemas de saúde, também não tenho. E se tivesse, penso que o meu médico de saúde é capaz de ser mais qualificado que tu (espero que não te esteja a magoar com estas minhas palavras, mas para mim um amigo tem que dizer tudo o que pensa). Pois é, todos os problemas que tu me prometes resolver, são problemas completamente secundários. Por isso, se quiseres a minha amizade, o que tu tens que fazer é resolver-me problemas que realmente me apoquentam. Se conseguires fazer isso, passo a confiar em ti e penso seriamente na tua proposta de amizade. E perguntas tu, que raio de problemas é que este gajo quer que eu resolva? E perguntas tu muito bem, sim senhora. Aqui vão eles: Como tu deves saber, uma vez que me conheces tão bem, estou casado e tenho há dois anos uma filha, ora bem, só por aí penso que já terás uma ideia do tipo de problemas que eu quero resolvidos. Bom, mas como eu não confio muito nas tuas capacidades "adivinhativas", vou ser mais claro e resumir tudo isto num único e simples problema: Como é que faço para que a minha mulher se aperceba da sorte que tem em me ter como marido? A abordagem directa não resulta, diz-me que eu devo considerar o facto de dormir com ela um privilégio e não um direito, e outras tretas feministas. Poderia escrever coisas mais específicas (como problemas ligados a loiça ou roupa supostamente suja, entre outras coisas) mas não quero abusar da nossa amizade.
Agora, se realmente és minha amiga, como afirmas, resolve-me este problema. Caso não me respondas, assumirei que a tua carta foi a carta de uma pessoa muito solitária que faz promessas de dinheiro, saúde e sei lá mais o quê, só para tentar arranjar amigos.
Já agora, um pequeno conselho de marketing: ‘PROBLEMAS SEXUAIS’ todos os têm e todos os querem ver resolvidos. Aposto que assim irias fazer muitos amigos.”
Obviamente que essa senhora nem se dignou a me responder e os meus problemas continuaram e continuam. Isto tudo para dizer que não acredito em signos nem em nada dessas coisas. Aliás, tenho algumas dúvidas sobre o meu signo, pois, quando lia os horóscopos, tudo o que estava escrito, em todos os signos se adaptava a mim. O que me levou a duas possíveis conclusões: ou eu era um gajo especial; ou isso dos signos é uma treta. Ainda andei uns anos a pensar que era um gajo especial, mas depois conheci a minha mulher e descobri que afinal quem era muito especial era ela (entendam isto como quiserem).


Já agora, recebi um mail de Coruche em que o autor me afirmava que não era ele que escrevia o meu blog. Porra, pá. Por momentos fiquei baralhado, se não és tu, quem será este gajo?????
Ok, agora fora de brincadeiras. Só conheço o Sorraia quando passo por ele e por Coruche, no caminho para a casa dos meus velhos e dos meus sogros. Sim, porque sou Ribatejano de nascença, mas Alentejano de alma e coração e ainda por cima pai de uma Alentejana nascida no Hospital de Beja.

publicado por Luis às 00:47
link do post | comentar | favorito
|

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




pesquisar