casado

Ver perfil


RSS

musica

Mozart

Façam-me Feliz

Google

Fogueira de Vaidades

Comercial.mp3
Antena3.mp3
JornalismoPortoRád...

visitas obrigatorias

casado

Mais uma mulher na minha ...

Crónicas da Vida de Casad...

Sabemos que estamos demas...

Resultados da votação....

Crise de criatividade.......

A semana passada...

Cuecas....

A minha mulher fez anos e...

Quero o MEU comando....

Como terminar rapidamente...

casado

Terça-feira, 15 de Janeiro de 2013
Mais uma mulher na minha vida…..

- Pai, estou bonita? – pergunta-me o membro mais recente da família, do alto dos seus 6 anos, e enquanto dá uma volta.

- Sim! Muito bonita mesmo. – respondo eu, depois de olhar cuidadosamente para o que ela tinha vestido.

- Mãe, tinhas razão! Afinal o vestido fica-me mal! – diz ela, enquanto vai para o seu quarto ter com a mãe.

Conclusão: Integração Totalmente Finalizada!

 

P.S.- E a que propósito vem um post agora? Simples: O livro passou a digital (e a um preço imperdível) e preciso de vender, logo, nada melhor do que pôr um post para vos chamar a atenção. Pelo que, para já, não é um regresso. É marketing!

publicado por Luis às 21:38
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
|
Quarta-feira, 10 de Novembro de 2010
Crónicas da Vida de Casado....

Fui desafiado para escrever umas crónicas, no site aMulher, embora eu tenha dito que o tempo para a escrita não existia, simplesmente não aceitaram um não......mulheres.... Assim aqui está a minha primeira crónica: http://www.amulher.com/cronicas/vida-de-casado/810-a-crise-no-matrimonio.html

Resta-vos agora esperar que as moças do site continuem a insistir comigo, para que as crónicas continuem :)

publicado por Luis às 22:37
link do post | comentar | ver comentários (28) | favorito
|
Sexta-feira, 9 de Julho de 2010
Sabemos que estamos demasiado embrenhados no trabalho quando.....

à noite depois do jantar:

- Olha lá, o que achas deste parágrafo, deste artigo? - pergunto à minha mulher. - "If we look at rural development process, we can detect some..."

- Hoje caguei duas vezes. - diz a nossa filha interrompendo-me.

publicado por Luis às 22:29
link do post | comentar | ver comentários (32) | favorito
|
Domingo, 27 de Setembro de 2009
Resultados da votação....

Para o Jantar:

Crepes- 66,66% (2 votos)

Sopa - 33,33% (1 voto)

 

Resultado Final: Sopa e asfixia democrática.

publicado por Luis às 21:38
link do post | comentar | ver comentários (32) | favorito
|
Quinta-feira, 24 de Setembro de 2009
Crise de criatividade.....

- Quando é que voltas a escrever no blog? – pergunta-me ela.
- Com o número de tarefas domésticas que me dás, onde é que eu tenho tempo para fazer outras coisas? – pergunto-lhe, ao mesmo tempo que me sento, coloco a minha gaveta das meias ao colo, e me preparo para separar as minhas meias rotas, das não rotas.
- Sentia-te mais feliz quando escrevias. – continua ela, agarrando na minha gaveta e colocando todas as minhas meias no lixo.
- Mas sobre o que é que queres que eu escreva? Não é que haja rotina entre nós. – digo, enquanto, involuntariamente, engulo em seco – Mas sem assunto e com demasiadas coisas na cabeça, relacionadas com o trabalho, não consigo escrever. – digo, enquanto vasculho no lixo, à procura das minhas meias dos “Looney Tunes” e dos “Simpsons”.
- Mas se escrevesses, talvez te descontraísses e até te podias sentir melhor. – continua ela, arrancando-me das mãos as minhas meias preferidas (com um bonito desenho do Bart Simpson) ao mesmo tempo que acende um isqueiro.
- Não me sinto com criatividade, pá! – digo, apagando com um sopro, o isqueiro – Já nem sei se conseguiria escrever alguma coisa de jeito. – digo triste, enquanto corro pela casa com as meias que consegui salvar da incineração.
- Mãe, Pai! Amanhã é dia de escola… - diz a nossa filha, descendo as escadas - …e se vocês não se calam não durmo! – diz, olhando para nós, meio assustada, ao ver-nos no wrestling e ao sentir um cheiro a queimado, que começava a espalhar-se pela casa.

 

P.S.- Embora com um espaço temporal entre post, que irrita a minha mulher, algo de estranho se passa com o blog, pois nos últimos meses, fui entrevistado para a "Visão". Fui ao programa da RTP2, "Sociedade Civil", falar sobre a Vida de Casado. Estive no Rádio Clube Português no programa "Janela Aberta" e amanhã vou ao programa “Mundo das Mulheres” falar sobre o blog.
Este último provoca-me alguns arrepios….eu, no mundo das mulheres…. bom, no Sociedade Civil era o único homem presente…tudo isto até acaba por ter algumas vantagens para alguém que, como eu, prefere escrever a falar: estar no mundo das mulheres, ou ser o único homem no meio de mulheres, facilita bastante a minha tarefa de falar o mínimo possível.

 

publicado por Luis às 14:00
link do post | comentar | ver comentários (21) | favorito
|
Sexta-feira, 19 de Junho de 2009
A semana passada...

- Então? Já decidiste onde vamos nos feriados? - pergunta-me ela.
- Achas que tenho tido tempo para isso? - respondo eu, com o habitual bom humor que me tem caracterizado nos últimos tempos. - O melhor é anularmos isso e marcar o dia de férias para outra altura. Isto anda demasiado complicado. - digo, no meu papel de sindicalista.
- Deixa-te de merdas! Não podes continuar a carregar o mundo às costas. A tua família também precisa de ti! - diz-me a minha consciência, mostrando finalmente, toda a sua hipocrisia, pois é ela que tem a lata de me chatear diariamente, obrigando-me a lutar por certos direitos (sob ameaça de não me deixar dormir) e a levar ao colo algumas pessoas, que não sei se o merecem.
- Ok. Não te preocupes. Eu vou já tratar disso. - digo - Onde é que querem ir? - pergunto, iniciando desta forma o processo democrático de decisões familiares.
- Eu gostava de ir para a praia, mas para um sitio novo. - responde a minha mulher.
- E tu filha? - pergunto.
- Eu gostava de ir acampar outra vez para o Gerês. - responde ela.
- Então está decidido. A maioria manda e manda acampar para o Gerês! - digo, dando por terminado o processo democrático de decisões familiares.
E assim lá fomos para uma praia na costa espanhola, gastar um pipa de massa na merda de um hotel, perto de um tal parque natural de Doñana.
- Vocês não saem de perto da piscina? Venham comigo à praia. Foi para isso que para cá viemos! - diz a Ahmadinejad* da família
- Não gosto da praia. Está toda suja e cheia de gente! - responde a nossa filha.
- E eu na praia não apanho rede. - digo, enquanto vou lendo e respondendo a mails a partir do meu maravilhoso telemóvel, o qual está a precisar de ser substituído por um outro, que tenha um teclado de jeito, tendo eu insinuado isso mesmo à minha mulher (mostrando-lhe os calos provocados pela escrita de mails usando um teclado numérico) mas que esta pura e simplesmente ignorou, fingindo-se irritada, por não ter ninguém para a acompanhar à praia.
E assim se passavam os dias. Tudo parecia correr normalmente. De um lado eu e a nossa filha, na piscina. Ela com os seus recentes amigos e eu, com a adrenalina no máximo, a acompanhar notícias e a ler e enviar mails, usando o meu quase maravilhoso telemóvel. Do outro lado a minha mulher a ir para a praia sozinha. Mas...um dia tudo mudou.
- Amanhã vamos andar de cavalo? - pergunta a Sócrates** da família, fingindo uma humildade que não tem.
- Vamos! - reage a pobre criança, facilmente enganada por conversas moles.
- Quanto custa? - pergunto eu, enquanto vou tentando aliviar os calos nos dedos com gelo.
E lá fomos gastar mais uma pipa de massa, num passeio a cavalo que, supostamente, seria pelo parque natural.
Quando lá chegámos perguntaram-nos, num espanhol típico do sul: - Quien tiene experiencia con caballos?
Como sou um erudito em várias línguas, cheguei-me à frente e disse: - Io tieno experiencia con cabalos dos caros. (para quem não percebe o espanhol, trata-se de uma pequena piadola, com a qual pretendia mitigar o suposto embaraço que causei à minha mulher, por regatear o preço do passeio, e com a qual pretendia dizer que, experiência com cavalos, só os dos carros***).
Assim que disse esta piadola, fui imediatamente posto de lado, e fui contemplado com o último cavalo. Por sinal, um animal bastante irrequieto que me provocou, logo ali, algum nervosismo e me fez perguntar: - És un bueno cavallo?
Ao que me responderam:
- És el caballo mas caro que tiniemos.
Julguei, na altura, que se tratava de uma piada que eu, sinceramente, não percebi.
Bom....O melhor que posso dizer sobre o passeio, é que o mesmo não correu da melhor maneira, nem para mim, nem para os donos dos caballos... A única pessoa que efectivamente se divertiu com toda a situação foi a nossa filha que, pelo que me lembro, nunca se riu tanto na sua curta vida, e que, ainda hoje, não pode ouvir as palavras: Pára! Por Favor! Foda-se! Cavalo! Salvam-me! Mãezinha! Socorro! Aiii!; ou ainda: Quero o meu dinheiro de volta!; sem largar uma valentes gargalhadas.****
Para terminar estas espectaculares mini-férias, só faltou um ataque de mosquitos, os quais, na minha última contagem, me picaram 124 vezes. A minha única consolação é que metade deles morreu, devido ao excesso de colesterol, e a outra metade, de ataque cardíaco, por excesso de adrenalina.

*referência altamente intelectual e actual, coisa que já há muito tempo não se via neste blog
**  Duas referências altamente intelectuais no mesmo post!!!!
*** Ok. É uma piadola fraca, admito.
**** Nota importante: no espanholês da Andaluzia, caro, não é carro, é mesmo caro!

publicado por Luis às 13:11
link do post | comentar | ver comentários (40) | favorito
|
Domingo, 31 de Maio de 2009
Cuecas....

Algo vai mal numa relação quando o homem descobre, apenas ao estender a roupa, que a sua mulher possui cuecas sexy da Playboy....Porra pá! Tínhamos combinado que ela nunca mais se ia esquecer de entregar a merda dos comprovativos de compras, a mim, o gestor de finanças da familia!

publicado por Luis às 16:17
link do post | comentar | ver comentários (30) | favorito
|
Sexta-feira, 15 de Maio de 2009
A minha mulher fez anos e......

“Todos os anos a minha mulher se queixa que eu nunca lhe faço uma festa surpresa. Este ano vai ser diferente, pelo que estão todos convidados para o almoço de Domingo na minha casa. Eu faço a surpresa e vocês o almoço.”

Eis como, através de um simples SMS que enviei a todos os nossos amigos, começou aquela que foi, de acordo com a minha mulher, o mais surpreendente dia de anos que teve.

Felizmente alguns dos meus amigos levam-me a sério e resolveram fazer mesmo o almoço (passaram imediatamente para a categoria de melhores amigos, destronando outros, que pensam que estou sempre na brincadeira). A coisa ficou combinada da seguinte forma: eu, supostamente, iria levá-la a comer fora, apenas com mais duas amigas, e entretanto algo iria acontecer que nos obrigaria a voltar para casa e aí…Pumba!!! Surpresa!!!

- E o que é que vais inventar para te obrigar a voltar para casa? – pergunta-me uma das que estava na categoria de melhor amiga.

- Não te preocupes com isso! Pelo menos vê se fazes a porra de um doce, para não me apareceres aqui de mãos a abanar. – respondo, deixando-a amuada.

Foi aí que me surgiu a ideia! Se eu conseguir que a minha mulher amue vai querer voltar rapidamente para casa. Mas depois pensei melhor e cheguei à conclusão que as mulheres, quando amuam, ficam com uma certa tendência para a violência, pelo que após ter ido trocar de roupa, devido ao banho de chá que a minha antiga amiga me enviou para cima, pensei que o melhor seria inventar outra coisa.

Chega então o dia. A sua disposição não podia ser melhor:

- Então vamos à Vidigueira, a um dos restaurantes mais caros da região, e nós é que pagamos? Por que razão não podemos dividir a conta com as nossas amigas? Elas não se importam? – dizia ela, meio irritada por já serem horas de almoço e eu ainda não lhe ter dado qualquer presente.

- Deixa de ser sovina, esse é o meu papel! – digo, com a minha habitual sinceridade.

- E porque é que não comemos aqui em casa? Elas vêm cá ter e eu faço o almoço.

- No teu dia de anos? Fazeres o almoço? Nem pensar. O que raio é que tu pensas que é a tua prenda? Este almoço vai-me custar os olhos da cara.

Bom, depois disto tive algumas dificuldades em tirá-la de casa, mas lá a convenci que a reserva que fiz no restaurante implicou o pagamento de um significativo sinal.

Chegados à Vidigueira, tive que fingir que não fazia ideia onde ficava o restaurante, de forma a ter tempo para que os nossos melhores amigos, e os outros, chegassem à nossa casa e preparassem tudo. Quando estávamos “perdidos” algures numa praça, toca o meu telemóvel. Era a deixa para voltarmos.

- O quê? Teve um princípio de enfarte? Mas…. – dizia eu, já depois de, do outro lado, terem desligado – Estão à porta da nossa casa? E ela, como está?........Ui…..Não se preocupem, vamos já para aí. Pede as chaves da nossa casa à nossa vizinha e entra com ela. Deita-a numa cama para ver se melhora. Nós vamos já para aí!

Confesso que quando desliguei o telefone e olhei para a minha mulher, pensei que ela tivesse desconfiado que havia ali uma marosca, tal era o brilho nos seus olhos. Autocritiquei-me pelo meu excessivo exagero.

- Mas….a Graça?? Outra vez?? Mas…?? – dizia ela, com aflição e quase a chorar.

Suspirei de alívio (muito discretamente, claro).

- Pois… Sentiu-se mal quando estavam a caminho e, por sorte, estavam a passar perto da nossa casa. – disse-lhe, com um ar muito preocupado – Vamos depressa! Provavelmente teremos que chamar o INEM!

Entrámos no carro e voltámos rapidamente para casa. Pelo caminho, enquanto ela soluçava, não consegui evitar uns pequenos risos (que disfarçava como podia, ou seja, como se também estivesse a chorar de preocupação) pensando na surpresa que ela iria ter.

Mal chegámos, ela saiu (quase com o carro em andamento) e entrou em casa a gritar pela sua amiga. E foi aí que todos apareceram a cantar-lhe os parabéns.

Quando a conseguimos reanimar (com algum esforço, diga-se de passagem) chamou-me a um canto e deixou bem claro que nunca mais iria querer festas surpresas no seu aniversário.

Mas ela ainda não sabia que mais surpresas vinham a caminho…..

Depois do excelente almoço feito pelo, agora, nosso melhor amigo. Pedi a palavra.

- Meus amigos – disse para o geral - …e conhecidos – disse, dirigindo-me especificamente para quem (há uns dias) me tinha dado um banho de chá – Quero agradecer a vossa presença nesta festa, a qual serve para mostrar que as rugas na cara da minha mulher são o resultado directo da sua idade, e que os cremes pouco ou nada podem fazer, relativamente a isso. – é sempre bom começar um discurso com uma piadola (à qual, só o meu novo melhor amigo se riu).

Depois de mais uma série de considerações sobre o que era viver com uma mulher que se aproximava, de uma forma galopante, da menopausa (sentindo sempre o apoio incontestável do meu novo melhor amigo) achei que estava na altura de puxar ao sentimentalismo.

- Para terminar, quero dizer que me encontro casado com a mulher da minha vida, a qual já admitiu por várias vezes que é uma grande chata, e que isso é a causa de muitas das nossas discussões. Pelo que agora também quero eu admitir algo, perante todos vós. Quero te dizer, meu amor – disse, enquanto olhava para os seus lindos olhos e lhe segurava na mão – que tudo isto que fiz por ti hoje, e tudo o que acabei de dizer, provam o quanto gosto de ti e o que estou disposto a fazer para te ver feliz. E também tudo isto - e aqui tive que fazer uma pausa emocional - custou muito menos do que aquele frasco de perfume, que tu querias que eu te oferecesse como prenda.

A forma como os seus olhos voltaram a brilhar e o aperto esmagador que senti na minha mão, serviram para mim, como um claro reconhecimento de todo o amor que, ali naquele momento, ela sentia por mim.

 

publicado por Luis às 17:40
link do post | comentar | ver comentários (31) | favorito
|
Sábado, 2 de Maio de 2009
Quero o MEU comando....

Hoje disse-me que queria dar todos os seus DVDs do Ruca!

ONDE É QUE POSSO ENCONTRAR O BOTÃO DE PAUSA NA VIDA!?

publicado por Luis às 22:47
link do post | comentar | ver comentários (16) | favorito
|
Quinta-feira, 30 de Abril de 2009
Como terminar rapidamente reuniões de "produtividade"....

1-     Antes da reunião, esfregar bastante, ambos os olhos;

2-     No inicio da reunião, forçar uns espirros (no meu caso arrancar um pêlo do nariz foi o suficiente, além de ter a vantagens de pôr os olhos a lacrimejar) certificando-se que os mesmos provocam bastantes perdigotos e que atingem o máximo de pessoas possíveis (principalmente o responsável pela marcação da reunião);

3-     Após os espirros, assoar-se ruidosamente e dizer (com voz fanhosa): “Talvez tenha sido má ideia ter ido passar as férias da Páscoa ao México….”

publicado por Luis às 12:51
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
|

Olha! O Livro!


Agora em versão digital! Com mais posts por muito menos Euros!

livro

À venda em todas as lojas da Amazon!

blogs


referer referrer referers referrers http_referer




blogs

online

pesquisar